Notícias

Voltar para Notícias
20/09/2018

Setembro ascende discussão contra o Câncer de Intestino

Setembro ascende discussão contra o Câncer de Intestino

O mês de setembro, além de conscientizar sobre o Suicídio, é também oportunidade de debater sobre o câncer colorretal, ou câncer de intestino. Setembro Verde, como é chamada a campanha, traz a tona um dado alarmante: em 2018, estima-se que sejam confirmados mais de 36 mil novos casos de Câncer de Intestino.

O câncer de intestino é tratável e, na maioria dos casos, curável. Para isso, ele deve, no entanto, ser detectado precocemente. “É muito importante falarmos sobre o câncer de intestino, pois ele pode ser uma doença silenciosa em muitos casos e só ser detectado através de exames. A Colonoscopia detecta lesões que podem no futuro gerar o câncer de intestino”, explica o cirurgião do Aparelho Digestivo do Hospital Santa Teresinha, Dr. Rogério Ricardo Alves Paz.     

Em 2013, mais de 15 mil pessoas perderam a vida em consequência do câncer de intestino. Além do exame de Colonoscopia, uma dieta rica em fibras, composta de alimentos como frutas, verduras, legumes, cereais integrais, grãos e sementes, além da prática de atividade física regular, previne o câncer colorretal. “A Colonoscopia é recomendada à adultos acima de 50 anos sem nenhuma patologia, ou pessoas que já tiveram doenças inflamatórias intestinais”, explica o especialista.

Deve-se evitar o consumo de bebidas alcoólicas, de carnes processadas e condimentos. Alguns fatores aumentam o risco de desenvolvimento da doença, como idade acima de 50 anos, história familiar de câncer colorretal, história pessoal da doença (já ter tido câncer de ovário, útero ou mama), além de obesidade e inatividade física.Também são fatores de risco doenças inflamatórias do intestino, como retocolite ulcerativa crônica e doença de Crohn, bem como doenças hereditárias, como polipose adenomatosa familiar (FAP) e câncer colorretal hereditário sem polipose (HNPCC).