Notícias

Voltar para Notícias
12/12/2020

HST se prepara para receber leitos de UTI

HST se prepara para receber leitos de UTI

Com todas as etapas de aprovação nas esferas municipal e estadual concluídas o Hospital Santa Teresinha aguarda a finalização da captação de recursos para iniciar sua obra de ampliação e presentear a região com 10 novos leitos de UTI. 
Com a nova ala, o HST passará de media para alta complexidade, ampliando as suas especialidades médicas e oferecendo a região atendimento referência em saúde. 
Serão mais de 5 mil metros quadrados que irão contemplar em três andares: um novo Centro de Diagnóstico por Imagem, um novo Ambulatório de Especialidades, leitos de internação, uma Agência Transfusional e uma Unidade de Terapia Intensiva - UTI. “A implantação de leitos de UTI na região é uma luta da comunidade e abraçada fortemente pela diretoria do Hospital Santa Teresinha, desde o início da gestão de Camilo Alberton, até a nossa. Para a sua viabilização são necessários cerca de R$9 milhões e, assim que levantarmos todo o montante a obra será iniciada”, explica o presidente do HST, o advogado Pedro Michels Neto. 
O projeto foi executado pela Archimed Arquitetura Clínica e Hospitalar, das arquitetas Julia Michels e Thaiza Brati, com apoio dos engenheiros Valdir Volpato, Cheila Badziak, Fabiano Coan Della Giustina e a empresa Daudt. A direção do HST criou uma comissão de obra presidida pelo empresário, Carlos Fornazza, para acompanhar todo processo. “O prazo de execução previsto é de 18 meses após o início obra”, salienta o presidente da comissão. 
O investimento irá elevar a região a um novo patamar em saúde, ampliando o leque de especialidades e procedimentos médicos. 
Com a humanização do atendimento, o HST teve um incremento de aproximadamente 40% no número de atendimentos, passando de 59 mil em 2017, para 82 mil atendimentos em 2019. “Com a ampliação esse impacto será ainda maior, tanto na área da saúde como na geração de emprego e renda para a região”, completa o diretor geral do HST, Vitor Abitante. 
A projeto de ampliação tem capacidade para 20 leitos de UTI, mas em um primeiro momento irá comportar 10, no que supre a necessidade da região. “ O processo de implantação de uma UTI requer profissionais capacitados e preparados para atender a nova demanda, não só apenas os profissionais da área da saúde, mas a entidade como um todo, desde setores de higienização até a parte administrativa”, completa o diretor técnico, José Nazareno Goulart Junior. 
Além da UTI, a Agência Tranfusional irá suprir uma importante demanda. Hoje, pacientes que necessitam de sangue durante o atendimento esperam de duas a quatro horas na busca de suprimentos junto ao Hemosc, que fica em Criciúma. “Esta é uma obra que irá beneficiar toda a região, sem distinções e oferencendo um serviço de excelência”, completa o presidente do HST, Pedro Michels Neto. 
O HST aguarda a assembleia da Cerbranorte para solicitar junto aos seus associados o restante do recurso necessário para a ampliação.